Que a religião te frustre

“Um homem que está livre da religião tem a oportunidade melhor de viver uma vida mais normal e completa.” (Sigmund Freud) Desejo de todo o meu coração que a religião te frustre, pois só assim estará pronto para perceber que ela é uma invenção humana e como algo humano que é, ela não é infalível. … Continuar lendo Que a religião te frustre

Jesus, a fonte

“És tu, porventura, maior do que Jacó, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a … Continuar lendo Jesus, a fonte

Deus criado

“O medo dos poderes invisíveis, inventados ou imaginados a partir de relatos, chama-se religião”. (Thomas Hobbes) Deus criado-mudo, serviçal dos humanos, empregado de suas vontades... Deus criado e moldado conforme a imagem e semelhança das almas sedentas de poder, dinheiro, fama e glória. Deus criado especificamente para atender vontades, satisfazer desejos e transformar as sombras … Continuar lendo Deus criado

A era do “des-conhecimento”

“Sendo assim, as revoluções não concernem a pequenas questões, mas nascem de pequenas questões e põem em jogo grandes questões.” (Aristóteles) Minha revolução começou quando dentro de mim mesmo, a revolta contra tudo e todos foi embora no momento em que eu descobri que a culpa era minha. Minha revolução se dá quando a cada … Continuar lendo A era do “des-conhecimento”

O que é diabólico?

"O demônio é mais diabólico quando é respeitável." (Robert Browning) Tudo o que divide é diabólico! O termo diabo ou diabolus tem como definição etimológica “aquele que divide”. Tudo o que separa em vez de unir é diabólico! Tudo que espalha em vez de ajuntar é diabólico! Tudo o que discrimina em vez de considerar … Continuar lendo O que é diabólico?

Manifesto de um ateu de religião

Tudo o que parecia divino era-me fascinante, fantástico, capaz de me excitar e mover-me o espírito. Lembro-me do meu fervor católico e meu desejo de ser padre. Lembro-me da minha curiosidade quanto ao espiritismo, frustrada depois de ouvir uma palestra sobre a origem do sofrimento humano. Lembro-me de minha fascinação pelo místico, pelo oculto e por toda a religião que se arroga no direito de explicar meus questionamentos interiores.